5.8.17

canto ao vento

modulada no vento, chega-me a sua voz acetinada. dançando no vento, tecem-lhe as folhas um vestido floral. entrelaçada no vento, viaja a luz do seu olhar rebrilhante. e eu, vou até ela no vento, levado como se fosse areia, até que de mim, tudo o que resta, cabe num redemoinho.

18.5.17

canto do apaixonado despojado

para oferecer à minha amada levo apenas ternura. moldada com a exata forma de mim.

17.5.17

canto do viajante

nos anos primeiros  da minha vida, viajei por desertos, atravessei oceanos, conheci o gelo polar, o fogo equatorial. os anos  restantes da minha vida dedicarei a conhecer a minha amada. viva eu mais anos do que os que já deixei para trás, porque tanto mais há por descobrir.

canto dos palácios do céu e da terra

a terra é um palácio que olha para cima, o céu é um palácio que olha para baixo. passarei por cima de todas as águas em busca da mulher sete vezes tão bela. quando a borboleta rubra a ela se chegar, saberei que estou perante aquela que tem a chave do palácio do meu coração.